Qual é o teu negócio?

Por Alice Sosnowski | dez 05, 2016

Documentário mostra a força do empreendedorismo nas periferias brasileiras. “A esperança do sol é maior do que a tristeza do frio”, diz uma das entrevistadas

Sabe aqueles filmes que após assistir dá vontade de arregaçar as mangas e sair fazendo? “Qual é o teu negócio” tem este poder. Dirigido por Sérgio Gagliardi, o documentário mostra casos de sucesso de empreendedores nas periferias de São Paulo e Rio de Janeiro.

Ele começa com o depoimento da cabeleireira Itamara Ribeiro, que largou o trabalho formal para cuidar do filho que se envolveu com “gente errada”. “Comecei a atender só com uma cadeira”, diz ela. Em seguida, entra a história da educadora Zélia de Souza Bello, que iniciou sua escola na varanda de casa com 5 alunos e hoje comanda um centro educacional com 320 estudantes e 24 funcionários.

O filme segue com a proprietária da padaria, a feirante, o dono do ferro-velho e o afinador de sanfona. Gente que apesar das dificuldades conquistou a liberdade financeira ao deixar de trabalhar para os outros para receber um “salarinho de nada”, diz o sanfoneiro José Roberto Rebouças.

Não conseguir abrir conta em banco ou ter ponto fechado pela prefeitura são apenas alguns obstáculos  que eles tiveram de enfrentar. Por isso mesmo, todos eles dão uma aula de criatividade, determinação e carisma.  “Para quem quer trabalhar e tem boa vontade não tem nada difícil”, relata dona Lindaura Adélia da Silva, a quituteira da madrugada que em 18 anos só chegou atrasada duas vezes ao trabalho.

Esta coleção de depoimentos bem humorados e inspiradores mostra a força realizadora da periferia e, ao mesmo tempo, expõe como o empreendedorismo por necessidade ainda é uma realidade brasileira, assim como a falta de apoio em um ambiente desfavorável aos negócios.

O pulo do gato destes empreendedores foi transformar necessidade em oportunidade e fazer do problema uma solução. “A gente começou com uma mercadoria e foi mudando até chegar ao produto que caiu no gosto popular”, relata a vendedora de roupas Dalva da Silva , apontando como melhorou suas vendas a partir da opinião dos clientes. “Quem não está aberto para ouvir crítica, não está pronto para crescer”.

Segundo o diretor a intenção do documentário é inspirar as pessoas com a visão do empreendedorismo criativo das periferias. O trabalho foi patrocinado pelo banco Itaú e estreou em novembro de 2013, sendo apresentado em diversas escolas e sessões públicas.

Veja o trailer aqui: